Depressão: O que é, sintomas e como tratar

O que é

 

A depressão, conforme o Ministério da Saúde, é classificada como um distúrbio patológico, onde pode se observar presença de tristeza, pessimismo e baixa auto-estima. É muito comum ouvirmos, ou até usarmos, a expressão “depre” para explicar um dia que não nos sentimos bem, um dia que estamos no sentindo para baixo, tristes ou reflexivos. 

 

Acontece que a depressão está cada vez mais presente na sociedade, durante essa época de pandemia, um estudo realizado na UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) encontrou sintomas de depressão em 92,2% dos participantes além de 51% apresentarem sintomas de ansiedade e 52% transtorno de estresse pós-traumático. Ao todo, 2.624 pessoas foram analisadas, mas concorda que esse dado é um tanto quanto alarmante?

 

Por isso, aqui vamos falar um pouco das causas, sintomas e, o mais importante, como tratar de forma natural a depressão.

 

10 sintomas

 

1 — SENSAÇÃO DE BAIXO ASTRAL

Uma das principais característica da depressão é o humor depressivo ou forte sensação de angústia que acompanha a pessoa mesmo em momentos considerados felizes e sem causa aparente. A sensação é permanente e perdura por mais de 20 dias em média.

 

2 — DESÂNIMO

Outro ponto para se prestar atenção é no desânimo, principalmente quando ele fica de forma constante “martelando” na cabeça. Além disso, geralmente ele vem acompanhado de cansaço, mesmo com ações que antes eram consideradas fáceis.

 

3 — FALTA DE ALEGRIA

É claro que ninguém é feliz 24 horas por dias durante os 7 dias da semana, mas a crescente diminuição de sentir alegria e prazer em atividades anteriormente consideradas agradáveis é um alerta vermelho bem grande que não deve ser ignorado.

 

4 — FALTA DE MOTIVAÇÃO

Pessoas que sofrem de depressão tendem a fazer um esforço muito grande apenas para sair da cama. Isso se dá devido à falta de motivação e apatia pela rotina.

 

5 — PENSAMENTO DE ABANDONO

Esse tópico é um verdadeiro “mix” de sentimentos, incluindo medo, insegurança, desesperança, desespero, desamparo e vazio. Onde a pessoa se vê afastada de entes queridos e amigos, como se estivesse sozinha no mundo.

 

6 — PENSAMENTOS NEGATIVOS

Ideias pessimistas de culpa, baixa auto-estima, sensação de falta de sentido na vida e fracasso são um sinal que não pode, e não deve, ser ignorado. Afinal a consequência desse sintoma pode ser muito grave, chegando ao suicídio.

 

7 — PERDA OU AUMENTO DE APETITE

Todo mundo conhece um amigo ou parente que quando está triste desconta na comida, ao mesmo tempo, existem pessoas que se tornam apáticas até para a alimentação. Por isso esse sintoma pode vir de duas formas distintas, um apetite gigante, onde até o reboco da parede a pessoa quer comer, ou uma apatia a ponto de vomitar apenas com o cheiro de comida.

 

8 — DORES FÍSICAS

Dores de barriga, má digestão, azia, diarreia, constipação e flatulência são alguns sintomas, mesmo que menos comuns, de depressão. O mais relatado é a tensão nos ombros e pescoços, sensação de corpo pesado e  pressão no peito. Dores espalhadas pelo corpo, sem foco, fazem parte do sintoma. Dores no couro cabeludo também podem configurar sinais de fibromialgia. 

 

9 — INSÔNIA

Forte sensação de que o corpo não descansa durante a noite, mantendo um sono superficial ou com despertar fácil durante vários momentos da noite. Fora isso, é muito relatada a dificuldade em pegar no sono (sendo geralmente induzida por medicação).

 

10 — DIMINUIÇÃO DO DESEMPENHO SEXUAL

Veja bem, esse tópico não fala que a pessoa não irá ter relações sexuais, e sim sobre a diminuição de prazer sentido no ato. Além de ser geralmente acompanhada pela falta da libido.

 

Causas

 

Quebrando um dos maiores mitos que circulam por aí, a depressão não é causada apenas por fatores externos, ela é uma doença, que por sua vez causa alterações químicas no cérebro. Atingindo principalmente neurotransmissores (mensageiros que  transportam sinais entre os neurônios), impedindo que a mensagem seja enviada de forma eficaz. 

 

Um outro fator associado é a desnutrição e a falta de vitaminas e minerais que são matérias-prima dos neurotransmissores que agregam sensação de bem-estar. Um estado inflamatório provocado pela alimentação errada, com muitos industrializados e carboidratos pode estar entre os gatilhos depressivos.

 

Mas você pode pensar, e todos os sintomas citados acima? Eles são consequências dessa doença e não a causa em si. É claro que o ambiente e estresse podem influenciar, principalmente em pessoas que já apresentam predisposição genética para depressão. Segundo o Ministério da Saúde, cerca de uma em cada cinco pessoas no mundo apresentam depressão em alguma fase de suas vidas.

 

Diagnóstico

 

O diagnóstico de depressão deve ser dado por um médico, bem como todo o acompanhamento psicológico e psiquiátrico. Não se deve deixar de tomar os medicamentos prescritos, mas algumas ações podem funcionar como um “tratamento mais natural e alimentar” reduzindo os sintomas e desconforto causados pela depressão.

 

Amenizando naturalmente

 

AROMATERAPIA

Uma opção de calmante natural muito eficaz está na aromaterapia, já falamos aqui no blog da lavanda, por exemplo, que se encaixa muito bem neste caso. Para mudar um pouco a dica, a bergamota também é uma opção excelente, auxiliando na diminuição da pressão arterial e redução dos batimentos cardíacos. Um potente calmante livre de efeitos colaterais que pode auxiliar na diminuição dos sintomas da depressão.

 

MEDITAÇÃO

Esse é um ponto muito falado aqui no blog, a meditação é uma prática que traz inúmeros benefícios para o corpo e mente. No caso da depressão, onde a cabeça parece uma bagunça, a meditação ajuda a “revigorar” a mente, deixando ela limpa por alguns minutos e permitindo que pouco a pouco a pessoa tenha uma maior sensação de paz e calma.

 

ALIMENTAÇÃO

Acredite, a alimentação tem um papel fundamental na hora de amenizar a depressão, isso porque diversos alimentos são ricos em triptofano, um aminoácido muito conhecido por estar relacionado ao bem-estar. Os alimentos mais ricos nesse poderoso aminoácido são:

1 — Bananas

2 — Chocolate 70%

3 — Grão de bico

4 — Castanha de caju

5 — Ovo

NUTRIENTES ANTIDEPRESSIVOS

 

1 — Zinco — Encontrado nas ostras

2 — Vitamina B6 — Encontrado no agrião

3 — Potássio — Presente no nabo

4 — Vitamina C — Comum na alface

5 — Magnésio — Presente na acelga

6 — Ômega 3 — Muito presente no salmão

 

Cuidados com medicamentos antidepressivos

 

Vale lembrar que antidepressivos são medicamentos que andam acompanhados de diversos efeitos colaterais como, por exemplo, perda de memória, disfunção sexual, perda de apetite, constipação intestinal, agitação e alterações mentais. Existem algumas estratégias para ajudar a “driblar” o uso de medicamentos. Vamos citar 3 que são excelentes para fugir da toxicidade química.

 

ERVA DE SÃO JOÃO

É utilizada como primeira opção de tratamento contra depressão em alguns países da Europa, como a Alemanha. Ela aumenta a disponibilidade de neurotransmissores como a serotonina, dopamina, noradrenalina e GABA. Mas atenção, os compostos desta erva podem interagir com medicamentos, por exemplo, ele pode tornar as pílulas anticoncepcionais menos eficazes. Seu uso deve ser feito com acompanhamento médico, levando em conta as interações medicamentosas e os riscos.

 

DHA

Um dos compostos do famoso ômega 3, o DHA está localizado nas membranas celulares, deixando-as maleáveis e mais elásticas. Facilitando a ligação entre neurônios e deixando as lacunas entre as células mais fluidas. 

 

MAGNÉSIO

Um estudo publicado em 2017 mostrou que a suplementação de cloreto de magnésio durante 6 semanas melhorou de maneira significativa os sintomas da depressão.

 

RHODIOLA ROSEA

Esta é uma categoria de ervas e suplementos que podem reduzir os efeitos mentais incluindo fadiga, alterações de humor, irritabilidade e ansiedade. Se tornando uma ferramenta valiosa para quem sofre de depressão.

 

Perguntas frequentes

 

Depressão tem cura?

Sim, ela pode ser tratada quando acompanhada por um médico qualificado e acompanhamento psicológico.

 

Como a depressão se manifesta?

Com diversos sintomas que primeiramente parecem só um “reflexo” de um dia ruim. Com o tempo eles vão ficando mais fortes e mais frequentes, por isso é recomendado buscar ajuda médica o quanto antes.

 

O que quer dizer a palavra depressão?

Depressão significa deprimir, o principal sintoma causado pela doença.

 

Depressão pós parto é comum?

Depressão pós parto pode ser causada por diversos fatores diferentes, sendo eles: falta de apoio dos familiares, estresse e falta de planejamento da gravidez. Mulheres que já sofreram com a doença previamente tendem a ter mais chance de desenvolver no pós parto. O acompanhamento médico é indicado e não deve ser ignorado para evitar o agravamento do quadro.

 

Referências

https://www2.ufjf.br/noticias/2021/04/07/indice-de-pacientes-com-sintoma-de-depressao-ultrapassa-90-na-pandemia/#:~:text=%C3%8Dndice%20de%20pacientes%20com%20sintoma%20de%20depress%C3%A3o%20ultrapassa%2090%25%20na%20pandemia,-7%20de%20abril&text=O%20isolamento%20social%2C%20a%20perda,quadros%20de%20depress%C3%A3o%20e%20ansiedade.

https://www.scielo.br/j/rpc/a/C4n3mbn9gG5rKkK3Ws85S6C/?lang=pt

https://www.scielo.br/j/rbp/a/t79BpmNTfSCMGW8KPsKwXMj/?lang=pt&format=html

https://www.scielo.br/j/pusp/a/pLGJppkNXcmwHdpQ5T3T5xQ/abstract/?lang=pt

http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-08582011000100013

https://www.scielo.br/j/rbp/a/XD3SXdNxQPMwj6gc4WRjqSB/?lang=pt


Escrito por:

Dayan Siebra

Dayan Siebra